Como a Buser aumentou o CSAT em 9 pontos percentuais usando a IA generativa

Já é de conhecimento de todos que as ferramentas de inteligência artificial (IA) generativa, principalmente o ChatGPT, cada vez mais fazem parte do dia a dia das empresas no país. Além de ganhos em eficiência operacional, a tecnologia proporciona diversos outros benefícios e ajuda a melhorar a experiência dos clientes, tornando o processo de interação mais fluido.

Lídia Gordijo, da Buser

A Buser, atenta às potencialidades do ChatGPT, resolveu implementar a ferramenta com o intuito de elevar a taxa de resolução do bot, proporcionando uma interação mais fluida e eficaz com os usuários. “A agilidade no reparo de eventuais atritos e a retenção do cliente foram metas cruciais, refletindo diretamente na satisfação do usuário e, por conseguinte, no sucesso do negócio”, afirmou Lídia Gordijo, Chief Experience Officer da Buser.

De acordo com a executiva, a empresa ajustou estratégias, otimizou a configuração do ChatGPT e, por fim, colheu os frutos do investimento em inovação tecnológica: aumento de até 20% entre o fluxo que deriva para o checkout com GPT; redução em até 60% das etapas de source do usuário; melhora da navegação; além de um ambiente mais flexível e empático ao usuário (CSAT de 71% sem GPT para 79%
no mesmo fluxo).

O uso da IA generativa pela Buser exemplifica como essa tecnologia pode transformar a experiência do cliente e aprimorar a oferta de serviços. Para conhecer mais casos, baixe o e-book “Geração Inteligente nos Negócios”, que apresenta cenários, tendências e 26 casos reais de uso da IA generativa.

CLIQUE NA IMAGEM ABAIXO E BAIXE O E-BOOK. É GRÁTIS!

+ mais lidas

Governança cliente-cêntrica: uma estratégia corporativa essencial e necessária

Quanto você pagaria para ver um gol do seu time do coração?

Presidente do Senado defende “urgência” na regulamentação da inteligência artificial

Governança cliente-cêntrica: uma estratégia corporativa essencial e necessária

Quanto você pagaria para ver um gol do seu time do coração?

Presidente do Senado defende “urgência” na regulamentação da inteligência artificial